Translate / Tradutor

domingo, 13 de abril de 2014

Bicharada no Parque...




Reflexos
Parque Barigüi, Curitiba, Paraná
06/04/2014




Cores naturais
Parque Barigüi, Curitiba, Paraná
06/04/2014




Aproveitando a vista...
Parque Barigüi, Curitiba, Paraná
06/04/2014

domingo, 5 de maio de 2013

Luzes

Luzes
Brasil, Paraná, Curitiba
Foto de Zé Paulo
Abril/13


O vôo até a Lua não é tão longe.
As distâncias maiores que devemos percorrer estão dentro de nós mesmos.
              Charles de Gaulle


domingo, 14 de outubro de 2012

Idosa SÓ com as pombas...

Idosa SÓ com as pombas...
Brasil, Paraná, Curitiba
Foto de Zé Paulo
Outubro/2012

Como se Morre de Velhice

Como se morre de velhice
ou de acidente ou de doença,
morro, Senhor, de indiferença.

Da indiferença deste mundo
onde o que se sente e se pensa
não tem eco, na ausência imensa.

Na ausência, areia movediça
onde se escreve igual sentença
para o que é vencido e o que vença.

Salva-me, Senhor, do horizonte
sem estímulo ou recompensa
onde o amor equivale à ofensa.

De boca amarga e de alma triste
sinto a minha própria presença
num céu de loucura suspensa.

(Já não se morre de velhice
nem de acidente nem de doença,
mas, Senhor, só de indiferença.)

Cecília Meireles, in 'Poemas (1957) - (Rio de Janeiro, 1901–1964)

Encontro

Encontro
Brasil, Paraná, Curitiba
Foto de Zé Paulo
Outubro/12

O Velho do Espelho
Por acaso, surpreendo-me no espelho: quem é esse
Que me olha e é tão mais velho do que eu?
Porém, seu rosto...é cada vez menos estranho...
Meu Deus, Meu Deus...Parece
Meu velho pai - que já morreu!
Como pude ficarmos assim?
Nosso olhar - duro - interroga:
"O que fizeste de mim?!"
Eu, Pai?! Tu é que me invadiste,
Lentamente, ruga a ruga...Que importa? Eu sou, ainda,
Aquele mesmo menino teimoso de sempre
E os teus planos enfim lá se foram por terra.
Mas sei que vi, um dia - a longa, a inútil guerra!-
Vi sorrir, nesses cansados olhos, um orgulho triste...

Mario Quintana  (Alegrete, 30 de julho de 1906 — Porto Alegre, 5 de maio de 1994)



terça-feira, 26 de junho de 2012

Gentes do Brasil - Pescador



Pescador
Brasil, Paraná, Matinhos
Foto de Zé Paulo
Junho/12

Pescador

Pescador, onde vais pescar esta noitada: 
Nas Pedras Brancas ou na ponte da praia do Barão? 
Está tão perto que eu não te vejo pescador, apenas 
Ouço a água ponteando no peito da tua canoa... 

Vai em silêncio, pescador, para não chamar as almas 
Se ouvires o grito da procelária, volta, pescador! 
Se ouvires o sino do farol das Feiticeiras, volta, pescador! 
Se ouvires o choro da suicida da usina, volta, pescador! 

Traz uma tainha gorda para Maria Mulata 
Vai com Deus! daqui a instante a sardinha sobe 
Mas toma cuidado com o cação e com o boto nadador 
E com o polvo que te enrola feito a palavra, pescador! 

Vinícius de Moraes 
(Rio de Janeiro19 de outubro de 1913 — Rio de Janeiro9 de julho de 1980)


Dois patinhos

Dois patinhos
Brasil, Paraná, Curitiba
(Ópera de Arame)
Foto de Zé Paulo
Junho/12


Dois patinhos na lagoa
Começaram a nadar, a nadar
Quando viram uma minhoca
Começaram a puxar
Puxa pra cá, puxa pra lá
Cuidado pra minhoca não arrebentar
Puxa pra cá, puxa pra lá
Cuidado pra minhoca não arrebentar
Arrebentou!!!!!